propaganda

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Dunkirk

Christopher Nolan, que sempre foi um diretor extremamente racional, em seus últimos filmes tem se entregado cada vez mais ao seu lado emocional. Tudo começou com "Interestelar" e seu "final com amor". Em "Dunkirk" o cineasta aposta em um lado mais “Spielberg” ao apresentar um drama de guerra cheio de tensão e emoção. Só faltou aparecer a bandeira da Inglaterra no final para ficar com a mesma "pegada" de "O Resgate do Soldado Ryan".

Nolan mostra, como sempre, todo o seu talento técnico ao retratar a guerra de forma extremamente realista, com uma fotografia incrível, efeitos visuais muito bons e sonoplastia bem realista. Apenas a trilha sonora de Hans Zimmer exagera em alguns momentos com tons muito “tensos” por longo período que atrapalham as cenas deixando-as irritantes. Mas Zimmer em outros momentos inova ao incorporar sons mecânicos a música deixando-a mais "orgânica" e criando um efeito interessante no filme.

O principal problema do longa é o roteiro, escrito pelo próprio Nolan - sem a tradicional parceria com o irmão Jonathan -, que não consegue criar personagens interessantes a ponto do público se importar com eles. No meio das cenas do conflito a maioria deles parecem iguais. Mesmo criando momentos extremamente tensos, eles nem sempre funcionam pela falta de empatia com "personagens genéricos".

Nolan também investe mais uma vez em um roteiro com linhas temporais diferentes: três ao todo. Cada uma delas se passa em períodos de tempo diferente. Isso é interessante por tentar fugir da mesmice, mas ao mesmo tempo confunde o espectador sem acrescentar muito à narrativa.

"Dunkirk" vale mais por sua parte técnica do que a emocional, mas é mais um bom filme na carreira de Nolan, mesmo não sendo tão bom quanto seus trabalhos anteriores.

Título Original: Dunkirk (Reino Unido, EUA, França, Holanda, 2017)
Com: Fionn Whitehead, Tom Glynn-Carney, Jack Lowden, Harry Styles, Aneurin Barnard, James D'Arcy, Barry Keoghan, Kenneth Branagh, Cillian Murphy, Mark Rylance e Tom Hardy
Direção: Christopher Nolan
Roteiro: Christopher Nolan
Duração: 106 minutos

Nota: 3 (bom)
Postar um comentário